Chapter published in:
The Portuguese Language Continuum in Africa and Brazil
Edited by Laura Álvarez López, Perpétua Gonçalves and Juanito Ornelas de Avelar
[Issues in Hispanic and Lusophone Linguistics 20] 2018
► pp. 189210
References

References

Avelar, J.
(2006) Adjuntos adnominais preposicionados no português brasileiro. (Unpublished doctoral dissertation). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, Brazil.
(2009a) On the emergence of TER as an existential verb in Brazilian Portuguese. In P. Crisma & G. Longobardi (Eds.), Historical syntax and linguistic theory (pp. 158–175). Oxford: Oxford University Press. CrossrefGoogle Scholar
(2009b) The comitative-copular basis of possessive-existential constructions in Brazilian Portuguese. In J. Nunes (Ed.), Minimalist essays on Brazilian Portuguese syntax (pp. 139–160). Amsterdam: John Benjamins. CrossrefGoogle Scholar
(2015) Sobre a emergência das construções de tópico-sujeito no português brasileiro: mudanças desencadeadas por contato? In J. Avelar & L. Álvarez López (Eds.), Dinâmicas afro-latinas: Língua(s) e história(s) (pp. 127–148). Frankfurt: Peter Lang. CrossrefGoogle Scholar
(2017) Complementos direcionais em afro-variedades de português e espanhol. Moderna Språk, 111(2), 15–44.Google Scholar
2018). Sentenças possessivas e existenciais. In S. Cyrino, I. Ribeiro, & M. A. Torres Morais (Eds.) História do português brasileiro – Mudança sintática sob a perspectiva gerativista Vol. III T. 3 pp. 42 79 São Paulo Contexto
Avelar, J., & Callou, D.
(2012) Sentenças existenciais e preenchimento de sujeito: indícios de mudança em progresso na fala culta carioca. In A. S. da Silva, A. Torres, & M. Gonçalves (Eds.), Línguas pluricêntricas – Variação linguística e dimensões sociocognitivas (pp. 287–300), Braga: Aletheia.Google Scholar
Avelar, J., & Cyrino, S.
(2008) Locativos preposicionados em posição de sujeito: Uma possível contribuição das línguas Bantu à sintaxe do português brasileiro. Linguística, 3, 55–76.Google Scholar
Avelar, J., & Galves, C.
(2013) Concordância locativa no português brasileiro: questões para a hipótese do contato. In M. D. Moura, & M. Amorim Sibaldo (Eds.), Para a história do português brasileiro (pp. 103–132), Maceió: Edufal.Google Scholar
(2014) O papel das línguas africanas na emergência da gramática do português brasileiro. Lingüística, 30(2), 241–288.Google Scholar
(2016) From European to Brazilian Portuguese: A parameter network approach. Cadernos de Estudos Linguísticos, 58, 237–256. CrossrefGoogle Scholar
Baker, M. C.
(2003) Agreement, dislocation, and partial configurationality. In A. Carnie, H. Harley, & M. Willie (Eds.), Formal approaches to function in grammar – In honor of Eloise Jelinek (pp. 107–132), Amsterdam: John Benjamins. CrossrefGoogle Scholar
Callou, D., & Avelar, J.
(2000) Sobre TER e HAVER em construções existenciais: Variação e mudança no português do Brasil. Gragoatá, 9, 85–114.Google Scholar
Cardoso, S.
(1986) “Ter/Haver” no português do Brasil: Mudança linguística e ensino. In Atas do I Simpósio sobre Diversidade Linguística no Brasil (pp. 223–225). Salvador: UFBA.Google Scholar
Chatelain, H.
(1888–89) Gramatica elementar do Kimbundo ou língua de Angola. Genebra: Typ. de Charles Schuchardt.Google Scholar
Chomsky, N.
(1981) Lectures on government and binding. Dordrecht: Foris.Google Scholar
Demuth, K., & Harford, C.
(1999) Verb raising and subject inversion in comparative Bantu. Journal of African Languages and Linguistics, 20, 41–61. CrossrefGoogle Scholar
Duarte, M. E. L.
(1995) A perda do princípio “Evite Pronome” no português brasileiro. (Unpublished doctoral dissertation). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, Brazil.
Figueiredo Silva, M. C.
(1996) A posição sujeito no português brasileiro. Campinas: Editora da UNICAMP.Google Scholar
Freeze, Ray.
(1992) Existential and other locatives. Language, 68, 553–595. CrossrefGoogle Scholar
Galves, C.
(1998) Tópicos, sujeitos, pronomes e concordância no português brasileiro. Caderno de Estudos Linguísticos, 34, 7–21.Google Scholar
Gomes, S. F.
(2014) Relações entre língua oficial e línguas locais na escola: Como as crianças de aldeias de Cabinda/Angola aprendem o português e em português. (Unpublished master’s dissertation). Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brazil.
Gonçalves, P.
(2010) A Gênese do português de Moçambique. Lisbon: INCM.Google Scholar
Gonçalves, P., & Chimbutane, F.
(2004) O papel das línguas bantu na génese do português de Moçambique: O comportamento sintáctico de constituintes locativos e direccionais. Papia, 14, 7–30.Google Scholar
Holmberg, A.
(2010) Null subject parameters. In T. Biberauer, A. Holmberg, I. Roberts, & M. Sheehan (Eds.), Parametric variation: Null subjects in minimalist theory (pp. 88–124). Cambridge: Cambridge University Press.Google Scholar
Holmberg, A., Nayadu, A., & Sheehan, M.
(2009) Three partial null subject languages: A comparison of Brazilian Portuguese, Finnish and Marathi. Studia Linguistica, 63, 59–97. CrossrefGoogle Scholar
Inverno, L.
(2011) Contact-induced restructuring of Portuguese morphosyntax in interior Angola. Evidence from Dundo (Lunda Norte). (Unpublished doctoral dissertation). Universidade de Coimbra, Coimbra, Portugal.
Jon-And, A., Avelar, J., & Álvarez López, L.
forthcoming). Contact, variation and change in Angolan Portuguese: The case of existential constructions in Cabinda. Manuscript submitted for publication.
Kapetula, J. G. K.
(2016) Interpretação de sujeitos nulos no Português de Angola. (Unpublished master’s dissertation).Universidade Nova de Lisboa,Lisbon, Portugal.
Kato, M.
(2000) The partial pro-drop nature and the restricted VS order in Brazilian Portuguese. In M. Kato, & E. Negrão (Eds.), The null subject parameter in Brazilian Portuguese (pp. 223–258). Frankfurt/Madrid: Vervuert/Iberoamericana.Google Scholar
Leite, Y., & Callou, D.
(2002) Como falam os brasileiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.Google Scholar
Lucchesi, D., Baxter, A., & I. Ribeiro
(2009) O português afro-brasileiro. Salvador: EDUFBA. CrossrefGoogle Scholar
Lucchesi, D., Baxter, A., Silva, J. A. A., & Figueiredo, C.
(2009) O português afro-brasileiro: As comunidades analisadas. In D. Lucchesi, A. Baxter, & I. Ribeiro (Eds.), O português afro-brasileiro (pp. 75–99). Salvador: EDUFBA. CrossrefGoogle Scholar
Manuel, F. C. M.
(2015) Aspetos do português falado em Benguela. (Unpublished master’s dissertation). Universidade de Lisboa, Lisbon, Portugal.
Marins, J.
(2013) Ter, Haver e Existir: A representação do sujeito pronominal nas construções existenciais numa perspectiva diacrônica. (Unpublished doctoral dissertation). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil.
Mattos e Silva, R. V.
(2002) Para a história do português culto e popular brasileiro. In T. Alkmim (Ed.), Para a história do português brasileiro (Vol. III, pp. 443–464). São Paulo: Humanitas.Google Scholar
Mattoso Câmara, J., Jr.
(1972) Erros escolares como sintomas de tendências linguísticas no português do Rio de Janeiro (originally published in 1957). In C. E. F. Uchôa (Ed.), Dispersos de J. Mattoso Câmara Jr (pp. 35–36). Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas.Google Scholar
Mingas, A.
(2000) Interferência do Kimbundu no português falado em Lwanda. Porto: Campo das Letras.Google Scholar
Moura, D.
(2009) Resquícios de Palmares: O que uma comunidade quilombola nos diz. Maceió: Edufal.Google Scholar
Oliveira, M. D., Campos, E., Cecim, J. F., Lopes, F. J., & Silva, R. A.
(2015) O conceito de Português Afro-Indígena e a comunidade de Jurussaca. In J. Avelar & L. Álvarez López (Eds.), Dinâmicas afro-latinas: Língua(s) e história(s) (pp. 149–178). Frankfurt: Peter Lang.Google Scholar
Oliveira, V.
(2016) A expressão do sujeito no português de Moçambique (Unpublished master’s dissertation).Universidade Estadual de Campinas, Campinas, Brazil.
Petter, M.
(2015) A vitalidade de um léxico de origem africana em Minas Gerais. In J. Avelar & L. Álvarez López (Eds.), Dinâmicas afro-latinas: Língua(s) e história(s) (pp. 179–190). Frankfurt: Peter Lang.Google Scholar
Quiala, M. B.
(2013) Longoka Kikongo. Luanda: Mayamba.Google Scholar
Rodrigues, C.
(2002) Morphology and null subjects in Brazilian Portuguese. In D. Lightfoot (Ed.), Syntactic effects of morphological changes (pp. 160–178). Oxford: Oxford University Press. CrossrefGoogle Scholar
Silva, R.
(2004) A variação “ter/haver” na fala pessoense. In D. da Hora (Ed.), Estudos sociolinguísticos: perfil de uma comunidade (pp. 219–234). João Pessoa: ILAPEC.Google Scholar